Sábado, 28 de Julho de 2007

» Dados Históricos

 
 
 
 
 
Gentílico - Vimaranense
Área-242,85 km²

População-161 876 hab. (2004)

Densidade populacional-666,56 hab./km²
Número de freguesias-69
Fundação do município(ou foral)- 1096? (Conde D. Henrique)
Região - Norte
Sub-região - Ave
Distrito - Braga
Orago - Nossa Senhora da Oliveira e São Gualter
Feriado municipal - 24 de Junho(Batalha de São Mamede)
Código postal - 4800 Guimarães
Sítio oficial -
www.cm-guimaraes.pt


Guimarães é uma cidade portuguesa situada no Distrito de Braga, região Norte e subregião do Ave (uma das subregiões mais industrializadas do país), com uma população de 52 182 habitantes, repartidos por uma malha urbana de 23,5 km², em 20 freguesias e com uma densidade populacional de 2 223,9 hab\km². É sede de um município com 242,85 km² de área e 161 876 habitantes (2004), subdividido em 69 freguesias, sendo que a maioria da população reside na cidade e na sua zona periférica. O município é limitado a norte pelo município de Póvoa de Lanhoso, a leste por Fafe, a sul por Felgueiras, Vizela e Santo Tirso, a oeste por Vila Nova de Famalicão e a noroeste por Braga.
É uma cidade histórica, com um papel crucial na formação de
Portugal, e que conta já com mais de um milénio desde a sua formação, altura em que era designada como Vimaranes
Guimarães é uma das mais importantes cidades históricas do país, sendo o seu
centro histórico considerado Património Cultural da Humanidade, tornando-a definitivamente um dos maiores centros turísticos da região. As suas ruas, avenidas e monumentos respiram história e encantam quem a visita.
A Guimarães actual soube conciliar, da melhor forma, a história e consequente manutenção do património com o dinamismo e empreendedorismo que caracterizam as cidades modernas.
Guimarães é muitas vezes designada como "Cidade Berço", devido ao facto aí ter sido estabelecido o centro administrativo do Condado Portucalense por
D. Henrique e por seu filho D. Afonso Henriques poder ter nascido nesta cidade e fundamentalmente pela importância histórica que a Batalha de São Mamede, travada na periferia da cidade em 24 de Junho de 1128, teve para a formação da nacionalidade. Contudo, as necessidades da Reconquista e de protecção de territórios a sul, levou esse mesmo centro para Coimbra em 1129.
Os "Vimaranenses" são orgulhosamente tratados por "Conquistadores", fruto dessa herança histórica de conquista iniciada precisamente em Guimarães.


História

A cidade está historicamente, associada à fundação da nacionalidade e identidade Portuguesa. Guimarães (entre outras povoações) antecede e prepara a fundação de Portugal, sendo conhecida como "O Berço da Nação Portuguesa". Aqui tiveram lugar em 1128 os principais acontecimentos políticos e militares, que levariam à independência e ao nascimento de uma nova Nação. Por esta razão, está inscrito numa das torres da antiga muralha da cidade “Aqui nasceu Portugal”, referência histórica e cultural de residentes e visitantes nacionais.


Pré e proto historia

A região em que Guimarães se integra é de povoamento permanente desde pelo menos o
Calcolítico Final nacional, como atestam a presença, no concelho, das citânias de Briteiros e de Sabroso ou a Estação arqueológica da Penha.
A Ara de
Trajano, denuncia a utilização, pelos romanos das águas termais da vila de Caldas das Taipas.
 

Da fundação de Guimarães à fundação de Portugal


A fundação
medieval da actual cidade tem as suas raízes no remoto século X. Foi nesta altura que a Condessa Mumadona Dias, viúva de Hermenegildo Mendes, mandou construir, na sua propriedade de Vimaranes, um mosteiro dúplice, que se tornou num pólo de atracção e deu origem à fixação de um grupo populacional conhecido como vila baixa. Paralelamente e para defesa do aglomerado, mandou construir um castelo a pouca distância, na colina, criando assim um segundo ponto de fixação na vila alta. A ligar os dois núcleos formou-se a Rua de Santa Maria.
Posteriormente o Mosteiro transformou-se em Real Colegiada e adquiriu grande importância devido aos privilégios e doações que reis e nobres lhe foram concedendo. Tornou-se num afamado Santuário de Peregrinação, e de todo o lado acorriam crentes com preces e promessas.
A outorgação, pelo
Conde D. Henrique, do primeiro foral nacional (considerado por alguns historiadores anterior ao de Constantim de Panóias), em data desconhecida, mas possivelmente em 1096[2], atesta a importância crescente da então vila de Guimarães, escolhida ainda como capital do então Condado Portucalense.
Aqui se daria, a 28 de Junho de 1128, a
Batalha de São Mamede.

Idade média


Como a vila foi-se expandindo e organizando, foi rodeada parcialmente por uma
muralha defensiva no reinado de D. Dinis. Entretanto as ordens mendicantes instalam-se em Guimarães e ajudam a moldar a fisionomia da cidade. Posteriormente, os dois pólos fundem-se num único e após o derrube da muralha que separava os dois núcleos populacionais no reinado de D. João I, a vila intramuros já pouco mudará, embora se expandisse extramuros com a criação de novos arruamentos como a Rua dos Gatos.



Idade moderna e contemporânea

Haverá ainda a construção de algumas igrejas, conventos e palácios, a formação do Largo da Misericórdia (actual Largo João Franco) em finais do

 
Geografia

O concelho é delimitado a norte pelos montes da
Falperra e Sameiro e a sul pelo monte da Penha.
A montanha da Penha, com a elevação de 613
metros, apresenta-se como o ponto mais elevado do concelho.
É parte integrante da
bacia hidrográfica do rio Ave, que tem como efluentes o rio Vizela, rio Torto, rio Febras, e dentro da cidade, o rio Selho, rio de Couros e a ribeira de Santa Lúzia.
Os solos têm excelente aptidão agrícola, sendo separados por algumas
zonas florestais, principalmente nas cotas mais altas.

Clima

Devido às condicionantes físicas e por se encontrar afastado do litoral, os Invernos são frios e chuvosos e o verão quente, sendo a
temperatura média anual de 14º.


Fauna

A diversidade de espécies é escassa, em especial nas zonas urbanas. Ainda assim, o concelho apresenta algumas espécies com interesse cinegético como a
Raposa-vermelha, Javali, Rola-comum, Tordo, Pombo ou a Perdiz-vermelha. Existe também o Esquilo.


Flora

Apresenta uma flora algo diversificada.


Demografia

Da população do concelho, em 2001, 68 643 pessoas habitavam nas freguesias que fazem parte da cidade e dessas 52 182 pessoas viviam na aréa urbana da cidade
, e 44221 nas vilas do concelho, sendo previsto que até 2010, o concelho, atinja uma população de 188 178 habitantes.

Qualidade de vida

Em 2004, a rede de abastecimento de
água cobria 89% da população, sendo previsto pela concessionária Vimágua que em finais de 2006 a cobertura atinge-se 95% da população. O abastecimento de água era fornecido na efectividade a cerca de 70% da população.
A cobertura da rede de saneamento básico doméstico pública era, em 2001, de 63,5% da população (previsto pela Vimágua que atinja os 80% em 2006)
, sendo que 47% dos alojamentos familiares se encontravam ligados ao sistema público, enquanto 49% se encontrava ligada a sistemas particulares (principalmente fossas sépticas) e 1,1% não possuía qualquer sistema de
esgotos.
O acesso, em 2001, a estações de tratamento de águas residuais era de 67,5%.
Na recolha e tratamento de
resíduos, o acesso da população era de 100%.
Contudo, alguns defendem que a cidade, conjuntamente com outras cidades do Distrito de Braga, têm crescido "desordenadas e inestéticas, sujeitas a políticas de betão promovidas pelas autarquias responsáveis".



Desporto

Guimarães nos últimos anos, assistiu à construção de vários equipamentos desportivos, maioritariamente inseridos na Cidade Desportiva, como o Multiusos de Guimarães,
Piscinas de Guimarães, Pista de atletismo Gémeos Castro (que servem maioritariamente a população da cidade) ou a pista de cicloturismo.
Da Cidade Desportiva, salienta-se a o novo Multiusos de Guimarães, situado na veiga de Creixomil, junto a uma das principais entradas rodoviárias e à circular urbana. Com uma capacidade máxima de 2856 lugares na nave central, já acolheu várias competições de nível internacional.
Relativamente perto do pavilhão multiusos, as Piscinas de Guimarães, são compostas por três piscinas interiores aquecidas, sendo uma delas de 25m e as restantes dedicadas à aprendizagem e bebés e piscinas exteriores. Dispõe ainda, de um ginásio, gabinete de massagens, entre outros serviços.
Mesmo a seu lado encontramos a Pista de
atletismo Gémeos Castro.
A pista de
cicloturismo Guimarães-Fafe, resultado do aproveitamento parcial da desactivada, em 1986, ligação ferroviária a Fafe, fazendo esta a ligação da cidade à cidade e concelho de Fafe, compreendendo uma extensão de 14,1Km,sendo assim um excelente traçado para percursos cicloturísticos ou pedestres, maioritariamente feito pelo meio de montes e campos agrícolas. O primeiro troço abriu em 1996, no concelho de Fafe e tinha a extensão de 6 Km, sendo aberto o troço vimaranense em 1999, formando assim o actual percurso intermunicipal.[12]
Todos estes equipamentos são geridos pela Cooperativa Municipal Tempo Livre, que gere ainda, ao abrigo de um acordo com o Ministério da Educação, seis pavilhões gimnodesportivos inseridos em escolas, quatro deles das vilas de Pevidém, Lordelo, Moreira de Cónegos, Ronfe e os restantes nas freguesias de Creixomil e Urgezes inseridos na malha urbana da cidade.


Estádio do Vitória Sport Clube


O clube mais importante e conhecido do concelho é o Vitória Sport Clube, sedeado na cidade, e embora participe em mais modalidades, é conhecido especialmente pelo futebol, onde esteve 48 épocas consecutivas na primeira divisão portuguesa até a época de 2005/2006, tendo descido assim à Liga de Honra.
Também no futebol sobressai-se o
Moreirense Futebol Clube, da vila de Moreira de Cónegos, que disputou recentemente algumas épocas na primeira divisão portuguesa.
Atlético Clube de Gonça
Atlético Clube de Guimarães
Basket Clube de Guimarães
Brito Sport Clube
Clube Caçadores das Taipas
Desportivo Francisco de Holanda
Grupo Desportivo Recreativo Cultural Os Sandinenses
Grupo Desportivo Recreativo "Os Amigos de Urgeses"
Grupo Desportivo União Torcatense


 

Comunicação social


Guimarães foi a quarta cidade dos país a dispor de jornais


Imprensa escrita


O Comércio de Guimarães
Jornal O Conquistador
Desportivo de Guimarães
O Expresso do Ave
Notícias de Guimarães
O Povo de Guimarães
Jornal do Adepto
Reflexo – O Espelho das Taipas
Sport Jornal dos Desportos




 

Rádios
A
Rádio Fundação emite em 95.8 Fm.
A
Rádio Santiago emite em 98.0 Fm.


Economia


Tem uma intensa actividade económica, especialmente nas seguintes actividades: fiação e tecelagem de

Sector primário


No
sector primário, o solo é maioritariamente ocupado por culturas forrageiras e prados temporários, seguido de culturas cerealíferas e vinha. Ao contrário da região do Ave, onde as pastagens e prados permanentes ocupam 3 529 hectares, no concelho apenas 54 hectares são ocupados dessa mesma forma.



Sector secundário

Concelho integrado no vale do Ave, zona que se caracteriza historicamente pela sua forte industrialização, nomeadamente na indústria transformadora e no sector têxtil.



Sector terciário

A maioria de serviços concentra-se na cidade e vilas.


Transportes e comunicações

O concelho de Guimarães, a nível de
transporte ferroviário, é servido pela Linha de Guimarães, cuja renovação recente passou pela renovação de estações e apeadeiros, electrificação da linha e seu alargamento para bitola larga, tendo uma cobertura de 5,9% das freguesias e 12,7% da população, sendo a distância média das freguesias não servidas por este transporte, de 5,8 km.
É servida por uma
rede viária, em que se pode salientar as auto-estradas A7 (Póvoa de Varzim - A24 Vila Pouca de Aguiar) e A11 (Esposende- A4 Castelões (Penafiel), permitindo assim a chegar à cidade do Porto, afastada 55,9 km em 43 minutos, e à cidade de Lisboa, à distância de 352,8 km, em 03h41m e em 20 minutos à cidade de Braga, permitindo assim a sua plena integração nos circuitos económicos nacionais e europeus. Importa ainda referir ser o concelho servido pelas estradas nacionais 101, 105, 106 e 206.
A rede de autocarros públicos, é actualmente concessionada aos
TUG, cobrindo 97,1% das freguesias correspondente a 98% da população, cobrindo as praças de táxis 63,2% das freguesias ou 82,3% da população.
Em Setembro de 2005 passavam diariamente, pela cidade, cerca de 120 000 viaturas.



Educação

A taxa de analfabetismo era, em 2001, de 7,4%, abaixo da média nacional e do Norte do país que eram de 8,9% e 8,3%, respectivamente.

Ensino superior


Os planos originais, para a criação da Universidade do Minho, apontavam para a instalação de um campus único na vila de Caldas das Taipas contudo razões políticas levaram à divisão da universidade entre as cidades de Braga e Guimarães.
Guimarães recebeu na época lectiva de 1977-78, no Palácio de Vila Flor (actual centro cultural), parte dos cursos da então recém criada Universidade do Minho. As instalações definitivas da Escola de Engenharia foram inauguradas em 1989 no actual Campus de Azurém, onde hoje em dia se lecciona os cursos de arquitectura, geografia e a maioria dos cursos de engenharia.
Possui ainda uma extensão da
Escola Superior Artística do Porto, instituição pertencente ao Ensino Politécnico, vocacionada para a formação académica na área das artes. Aqui iniciou a sua actividade no ano lectivo de 1983-84, designada então como Cooperativa de Ensino Superior Artístico Árvore, na sede da Associação Cultural e Recreativa Convívio, no âmbito de um protocolo entre estas duas instituições. Transferiu-se para o actual edifício no ano lectivo seguinte´.


Património

Centro Histórico de Guimarães, Património Mundial da UNESCO.

Ver artigo principal: Lista de património edificado em Guimarães.
O papel de Guimarães desempenhado na formação da nacionalidade portuguesa confere-lhe uma singularidade, muito marcada no contexto turístico nacional, um estatuto simbólico que mantém desde há séculos. Primeira
capital do Condado Portucalense e do país é uma das mais importantes memórias vivas, da afirmação e independência de Portugal. Este facto, aliado à classificação do Centro Histórico de Guimarães como Património Cultural da Humanidade em 2001, desempenha um papel fundamental na diferenciação de Guimarães como atracção turística no contexto dos circuitos de turismo cultural no Noroeste Peninsular.
Podemos salientar os seguintes locais como de interesse particular:
A cidade de Guimarães inclui o sítio

 

publicado por guimarães às 10:55
link do post | comentar | favorito
|

.»»»»»»»»»»


Get cool stuff @ NackVision.com

.pesquisar

 

.tópicos

. Guimarães

. » Fotos da Cidade

. » Fotos variadas da Cidad...

. » Monumentos e Locais de ...

. » Hino da Cidade

. » Dados Históricos

. » Guimarães- Séculos de H...

. » Guimarães... do present...

. » Penha

. » Vila de S.Torcato

. » Vila das Caldas das Tai...

. » Vitória Sport Clube

. » O Regresso do Rei

. » Informações Uteis ( Gui...

. » Comunicação Social em G...

. » Hino de Portugal

. » O Nosso Portugal

. » Espaço dedicado aos vis...

. » Mais fotos do nosso Por...

. » Gerês

. » Sites Uteis

. SUGESTÕES / COMENTÁRIOS

.arquivos

. Agosto 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.RELÓGIO

..


Get cool stuff @ NackVision.com

.mais sobre mim

Procurar Localidade

introduza o código postal completo

-

codigopostal.ciberforma.pt

.contador de visitas

Hospedagem de site
Hospedagem de site

....


Get cool stuff @ NackVision.com
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa

.feed.euromilhoes.com

.ouvir radio

.subscrever feeds